6 SINAIS DE QUE SUA ESTRATÉGIA DE TI NÃO ESTÁ FUNCIONANDO CORRETAMENTE.

Analisar o desempenho, metas e resultados são atividades extremamente necessárias no mundo dos negócios. Se algo não sai conforme o planejado, é preciso rever o plano e verificar onde estão os pontos vulneráveis para tentar corrigi-los. E a área de TI não foge à essa regra. Se as estratégias não deram o resultado esperado, é preciso revê-las. Estratégias de TI bem definidas colaboram para o desempenho do negócio como um todo. Abaixo estão descritas algumas situações que indicam que a área de TI não está conseguindo obter resultados com as estratégias implementadas e algumas indicações do que pode ser feito para voltar ao caminho do crescimento. 1- Falta de atualização das tecnologias Há quanto tempo sua empresa não atualiza suas tecnologias, seus principais sistemas empresariais, como um ERP, por exemplo? Talvez o problema esteja justamente em estar usando ferramentas ultrapassadas, que não foram formatadas para as demandas atuais que o novo cenário conectado exige. Especialistas indicam que, como regra geral, um tempo crítico ideal para troca de tecnologias seria a cada 10 anos. Dependendo do setor, esse tempo pode ser ainda menor. Ao certificar com uma certa regularidade a atualização dos principais sistemas empresariais, o gestor já garante que não estará ficando defasado em relação aos concorrentes. Uma dica nesse caso é se programar, adotando opções de baixo custo e baixo risco, mas sempre fazendo investimentos contínuos para não ser pego de surpresa. 2- Alinhamento de estratégias Não importa o setor, as ações têm que estar comprometidas e agregar ao resultado das estratégias do negócio como um todo. De nada adianta uma estratégia de TI que não esteja alinhada com a estratégia geral de negócio, pois ela certamente não irá dimensionar de forma real as necessidades atuais e futuras da organização e em um cenário mais drástico, poderá inclusive impactar o crescimento. Dessa forma, os CIOs da área devem estar atentos aos objetivos gerais da organização e basear suas estratégias no suporte a uma ou mais dessas ações, por exemplo. Isso irá permitir uma TI focada no apoio às estratégias gerais a longo prazo e com a possibilidade de agir preventivamente, caso seja necessário rever algumas metas.

3- Analisar todas as mais variadas opções disponíveis de tecnologias É importante pensar que o mercado tem opções variadas para todos os tamanhos de negócios e orçamentos. Lembrem-se que softwares e demais tecnologias oferecem soluções potenciais. Um exemplo prático: o ERP é uma solução disponível para empresas. No entanto, transformação digital, móvel, business intelligence, sistemas de CRM e e-commerce são alternativas de tecnologia em potencial para sistemas ERP. Isso quer dizer que não existe uma solução única, pronta e acabada. O gestor deverá considerar qual tecnologia irá fornecer o melhor suporte para as estratégias traçadas, avaliando as principais tendências tecnológicas do mercado. 4- Falta de plano para atualizar a tecnologia da organização Ao mesmo tempo que a estratégia de TI precisa estar alinhada com o plano a médio e longo prazo do negócio, o gestor de TI precisa considerar um plano realista e acionável para implantar as estratégias sem interrupção do trabalho. Por isso, paralelamente ao cumprimento das metas, é preciso descrever um roteiro abrangente dos potenciais gargalos e como solucioná-los de forma a não impactar financeiramente ou interromper o fornecimento das atividades. 5- Implantações inadequadas Seja qual for o projeto, é preciso pensar e escalonar bem as implantações. Um problema recorrente nas empresas é não avaliar adequadamente as implantações tecnológicas. Erros frequentes são a utilização de diversas ferramentas para a mesma finalidade, prejudicando a operação, duplicando trabalho e ocupando mão de obra em uma mesma tarefa e até mesmo pular etapas importantes, como homologações e testes. 6- Para estratégias de TI não condizentes com o ROI, a regra é simples Estratégias bem sucedidas precisam cumprir satisfatoriamente os limites mínimos de ROI definidos pela organização. Se a estratégia de TI é falha nesse sentido, é preciso rever os principais pontos que podem estar desalinhados no planejamento, como previsão de custos, riscos e benefícios dos projetos implementados ou em implementação. Resumindo, é necessário garantir o custo-benefício da estratégia.

12